14 de dezembro de 2017, Vitória da Conquista - BA

Formar profissionais generalistas, capazes de compreender e traduzir as necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidade, com relação à concepção, à organização e à construção do espaço interior e exterior, abrangendo o urbanismo, a edificação, o paisagismo, bem como a conservação e a valorização do patrimônio construído, a proteção do equilíbrio do ambiente natural e a utilização racional dos recursos disponíveis.

Compreender as necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidade, com relação à concepção, organização, reflexão crítica e construção do espaço interior e exterior, abrangendo o urbanismo; a edificação; o paisagismo, o patrimônio histórico; a proteção do equilíbrio do ambiente natural e a utilização racional dos recursos disponíveis.

Uma das características da profissão em Arquitetura e Urbanismo está na amplitude dos campos de conhecimento. Com essa particularidade, se supõe que a formação profissional deva conferir ao discente a capacidade de elaborar soluções técnicas e projetuais compatíveis à da realidade, no tempo e no espaço. Em sua formação, o arquiteto e urbanista deverá desenvolver competências em áreas diversas referentes a sistemas estruturais, sistemas construtivos, representação gráfica, fundamentação estética, história, estudos ambientais entre outros.

As atividades exercidas pelo profissional da Arquitetura e Urbanismo no campo da elaboração de projetos exigem a capacidade de compreender o processo técnico construtivo dos mais variados tipos de obras. Desta forma, podem-se oferecer trabalhos que objetivem a construção de ambientes eficientes para as diversas atividades humanas. Neste sentido, na concepção do Projeto Pedagógico do Curso de Arquitetura e Urbanismo da FAINOR preocupou-se em dispor formação tecnológica, conferindo ao discente melhor capacidade de resolução a problemas de ordem técnica, a serem enfrentados e solucionados na vida profissional.

O arquiteto e urbanista possui formação humanística, técnica e artística. Atua como planejador do meio construído destinado à habitação (inclusive de baixa renda), às edificações de maneira geral e ao urbanismo. No seu viés urbanista, elabora planos diretores e de desenvolvimento, que envolvem: o planejamento da ocupação do solo do município e de regiões; código de obras; controle do trânsito urbano; soluções para mobilidade humana e de veículos; transporte coletivo; preservação de bens culturais e de recursos naturais; orientação para o crescimento das cidades. Considera para suas proposições profissionais, aspectos físicos, sociais e ambientais da área de influência de seu trabalho.

O Curso de Arquitetura e Urbanismo da FAINOR propõe uma metodologia integrada para a prática do ensino, que congrega conteúdos, posturas e fazeres. Essa integração encontra seu ápice na concepção de ateliês que buscam a interdisciplinaridade através da associação das cinco áreas de conhecimento do Curso, propostas nesse novo Projeto Político Pedagógico: Arquitetura. Cidade e Paisagem. Expressão e Representação. História e Teoria da Arquitetura, Cidade e Paisagem. Tecnologia da Construção.


Coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo da FAINOR:

Marcelo Silva Ferreira

Telefone do Colegiado de Arquitetura e Urbanismo:
(77) 3161-1040

E-mail Institucional:
arquitetura@fainor.com.br

 

 

O mercado de trabalho do profissional arquiteto sempre foi muito diversificado. Sua participação neste mercado pode ser tanto como autônomo ou membro de equipes multidisciplinares, onde sua atuação destaca-se principalmente como coordenador de projetos.

A profissão de Arquiteto e Urbanista é regulamentada pela Lei Federal n° 5.194 de 24 de dezembro de 1966 e suas atribuições são estabelecidas pela resolução n° 218 do CONFEA – Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia. Esta resolução foi atualizada pela Resolução n° 1010 de 22 de agosto de 2005. De acordo com a resolução citada, o exercício da modalidade profissional do arquiteto refere-se a edificações, conjuntos arquitetônicos e monumentos, arquitetura paisagística e de interiores, planejamento físico, local, urbano e regional, sendo designado pelas atividades de:

gestão, supervisão, coordenação, orientação técnica;
coleta de dados, estudo, planejamento, projeto, especificação;
estudo de viabilidade técnico-econômica e ambiental;
assistência, assessoria, consultoria;
direção de obra ou serviço técnico;
vistoria, perícia, avaliação, monitoramento, laudo, parecer técnico, auditoria, arbitragem;
desempenho de cargo ou função técnica;
treinamento, ensino, pesquisa, desenvolvimento, análise, experimentação, ensaio, divulgação técnica, extensão;
elaboração de orçamento;
padronização, mensuração, controle de qualidade;
execução de obra ou serviço técnico;
fiscalização de obra ou serviço técnico;
produção técnica e especializada;
condução de serviço técnico;
condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção;
execução de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção;
operação, manutenção de equipamento ou instalação;
execução de desenho técnico.
Além deste campo profissional, há ainda a atuação como professor e pesquisador nas áreas descritas anteriormente.

O bom desempenho da economia brasileira nos últimos anos impulsionou o setor da construção civil, incrementando a busca por profissionais desta área em face do crescimento das cidades, o que vem exigindo dos administradores grandes investimentos no planejamento urbano e na produção de edificações.

Muitas prefeituras têm investido em obras de infraestrutura visando, entre outras coisas, a universalização do serviço de saneamento básico, levando água potável e esgotos a todos os domicílios. Essas obras geram grande demanda por especialistas, dentre eles os arquitetos e urbanistas.

Paisagistas e urbanistas encontram lugar no planejamento de ocupação territorial, em loteamentos, bairros, praças, equipamentos urbanos, nas prefeituras municipais, de acordo com a legislação vigente.

O Arquiteto e Urbanista possui formação para coordenar equipes multidisciplinares, responsáveis por desenvolver relatórios de impacto ambiental urbano, entre outras atividades.