Professor FAINOR elaborou questão do Enade
07 de dezembro de 2019, Vitória da Conquista - BA
29 nov2019

Professor FAINOR elaborou questão do Enade

por Ascom

Pergunta retratou situação prática enfrentada por projetistas

Estudante respondendo prova do Enade.Entre as questões respondidas por estudantes de todo Brasil no Enade 2019, uma foi elaborada pelo professor Marlon Pamponet, dos Colegiados de Engenharia Elétrica e Engenharia da Computação da FAINOR. O professor foi selecionado pelo Inep – que produz a prova – por meio do currículo acadêmico, e integrou o time de professores universitários de instituições públicas e privadas que colaboraram com o exame.

 

Para elaborar as questões que poderiam ser usadas, os professores selecionados participaram de um treinamento na modalidade à distância, numa plataforma específica do MEC. “No treinamento foi possível entender toda metodologia por trás do Enade, desde o processo de elaboração das questões, até o objeto de conhecimento necessário para a solução do problema”, conta o professor Marlon Pamponet.

 

Todo o processo de criação das questões é feito sob bastante discrição. A plataforma virtual tem itens de segurança da informação, que garantem a privacidade do acesso, e todos os envolvidos assinam termos de sigilo referente às questões elaboradas, sob pena de serem punidos caso não honrem com termo. “Além disto, 40 professores participaram da elaboração das questões específicas do curso de Engenharia da Computação. Ou seja, a probabilidade de uma questão ser aceita e escolhida para a prova é baixa, diante do quantitativo de itens elaborados”, completa o professor.

Professor Marlon Caires Pamponet

 

Mas, mesmo com essa baixa probabilidade, umas das questões elaboradas pelo professor Pamponet foi utilizada na prova. A inspiração surgiu de situações vivenciadas no grupo de pesquisa de Controle e Automação, da FAINOR. “Tive a felicidade de ver uma questão dentre as sete que havia elaborado ser selecionada para a prova de Engenharia da Computação. A pergunta retratou uma situação prática enfrentada pelo projetista, durante a fase de modelagem matemática de processos e plantas industriais”, explica Pamponet.

 

Para o professor, a experiência vai contribuir na atuação docente. “Certamente, a técnica de elaboração de questões é essencial para que a prova possa discriminar realmente quem absorveu o conteúdo. Uma questão fácil demais que todos acertam, e no outro extremo, uma questão difícil demais que nenhum aluno acertou, pecam por não conseguirem discriminar o grau de aprendizado da turma, comprometendo a avaliação do processo de ensino-aprendizagem”, conclui Pamponet.

Compartilhe